10.1.12

Tensão na USP continua

Aparentemente longe de acabar, a luta entre os estudantes da USP e a PM (polícia militar), hoje a USP, mesmo de férias, foi palco de mais um lamentável incidente que mostra precisamente o porque da PM ter de abandonar o campus imediatamente. Para quem ainda apoia a polícia lá dentro, é impossível manter essa posição depois do que presenciamos aqui.
Depois de o Rodas (reitor da USP) ter expulso 6 estudantes pela ocupação da reitoria (situação que descrevi no outro post relativo ao assunto USP), resolveu fechar as portas do DCE-Livre (o espaço de representação máxima da voz do estudante), ou seja, impediu os alunos de terem uma palavra a dizer relativo aos assuntos da universidade. Em novos protestos, os alunos resolvem ocupar o espaço do DCE e tentar reavê-lo. A semelhança do sucedido anteriormente, a polícia militar e a guarda do campus realizaram nova campanha para retirar os alunos que aí se encontravam. Sem qualquer motivo, um aluno é agredido por um PM simplesmente porque o mesmo se recusa a mostrar a carteirinha (cartão de estudante da USP). Dado que se trata de um espaço  de livre trânsito, para quem estuda/trabalha na USP ou não, o aluno não tinha qualquer obrigação em mostrar o seu cartão de estudante, tinha sim que mostrar a sua identidade (RG), e como o mesmo se negou a acatar as ordens do PM que "exigiu" ver essa carteirinha, foi esculhambado, agredido e teve direito a uma arma apontada na cabeça.
Agora, gostaria muito que os alunos e docentes que são a favor da PM no campus, me expliquem que democracia é esta? Por ser PM pode agredir quem bem entende? E se eu estiver a conversar com uma aluno de rastas, vou apanhar também porque estou a dar-me com um "deliquente"? Racismo.. Puro racismo... Deixo o vídeo e uma matéria com mais detalhes:


Comentários
0 Comentários

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comenta aí que eu vou amar saber que você está desse lado...=D

Fan Page