15.3.12

Dicas para gerenciar orçamento - Pt 1

Em tempo de crise o grande problema de quem nunca viveu tempo tão difíceis é mesmo de gerenciar o orçamento. Pior do que não saber gerenciar o orçamento, é achar que o sabe fazer e por isso sentir a crise mais do que realmente devia. Nestes últimos tempos aprendi alguns truques para gerenciar o meu dinheiro e resultou. Hoje venho aqui partilhar algumas dessas mesmas dicas que acredito que serão úteis para muita gente. Então aqui vai:

1º fazer um orçamento
A primeira coisa a fazer é o orçamento de despesas da família. A prioridade são as contas de água, luz, prestações (se for o caso), comida, gasóleo. Acrescente as suas despesas pessoais como mesada do filho, internet, telemóveis, cabeleireiro, vícios, etc (mesmo não tendo dinheiro para eles) também pela ordem de prioridades. Não havendo dinheiro para tudo, vá cortando onde o pode fazer, por exemplo, quem come com 100€ também come com 70€ é só cortar em tudo o que é desnecessário (iogurtes, bolachas, chocolates, doces, etc...). Corte também as porções de carne (em vez de 1 Kg de carne compre apenas meio) e gerencie essa carne para o mês. Desta forma vai conseguindo dinheiro para a próxima prioridade da sua lista.

2º racionalizar no supermercado
Opte sempre por fazer compras mensais, assim evita essas visitas constantes que só propiciam a comprar o desnecessário. Faça um lista mensal de compras e não fuja muito dela  da quantia monetária que disponibilizou para a comida quando fez o seu orçamento (item acima). Escolha o dia para ir às compras que tenha mais tempo disponível e assim escolher o produto com a melhor relação qualidade - preço - quantidade. Olhe sempre para o preço das coisas ao quilo ou litro e nunca para o preço da lata, pacote ou garrafa individualmente, só assim vai saber o que realmente cabe no seu bolso. Mas lembre-se, nem tudo o que tem o preço mais baixo, saí o mais barato (lei do detergente Fairy). Quando decidir o dia para ir as compras, faça-o depois de pagar todas as outras contas; menos dinheiro disponível significa menos tendência a desperdiçar. Compre apenas a cesta básica e tudo o resto faça você mesmo, um bolo de chocolate no supermercado custa 10€ mas feito em casa é menos de metade do preço (etc).

3ª explore a cozinha
Existem uma infinidade de pratos que ajudam a racionalizar a comida. Opte por arroz de peixe em vez de arroz branco com peixe grelhado. Todos os ingredientes acrescentados além do peixe e o arroz (utilizados no preto habitual) dão consistência ao prato além de ser utilizado metade do peixe. Aproveite dias que faça assados e que precise de aquecer o forno, para fazer um bolo ou algo no forno (desperdiça menos gás do que ambas as coisas feitas em dias diferentes). Faça as suas próprias bolachas, as suas sobremesas e até os seus iogurtes. Aproveite todos os restos do frigorifico com gratinados, rissóis, croquetes. Tudo pode ser reutilizado, basta ter imaginação.

4ª vestuário
Reutilize as peças dos armários, costure, faça alterações e explore um mundo de novas utilidades para peças aparentemente fora de moda. A moda é cíclica e além disso, porque não ser a vanguardista de uma determinada peça? Tire um fim de semana para olhar o seu armário e tirar as peças que já não usa. Procure por modelitos na internet, leia revistas, procure novas formas de reutilizar roupa, a internet apresenta-nos tudo isso a distância de um clique.

5ª combustível
O combustível tornou-se uma despesa quase insustentável pela famílias que hoje passam mais dificuldades. A algum tempo atrás fiz uma experiência: enchi o depósito do meu carro com o gasóleo mais barato. Quinze dias depois coloquei exactamente o mesmo valor num posto Bp. A diferença foi que com o depósito de gasóleo Bp consegui fazer mais 70Km, isso mesmo, 70Km. Não estou certa do porquê, mas acredito que seja algum tipo de substância utilizada que diluí o combustível fazendo com que o motor necessite de mais combustível para percorrer x número de quilômetros. Além disso, esses combustíveis conseguem competir no preço porque tem falhas na sua composição. Ou seja, o óleo é comprado puro as grandes empresas como galp e bp, o problema está nos aditivos, que os combustíveis de marca branca não utilizam ou utilizam em menor concentração. Esses aditivos, como o Asphaltene, doseadores de lubricidade, microbicida, turbo diesel, etc, são imprescindíveis para o funcionamento do motor e garantir o tempo de vida do mesmo. Se esses aditivos não são acrescentados aos combustíveis de forma adequada e nas concentrações exigidas, o motor poderá sentir e até mesmo avariar (como já a casos relatados) e o gasto no mecânico será muito maior.
Comentários
0 Comentários

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comenta aí que eu vou amar saber que você está desse lado...=D

Fan Page