18.1.13

Tippi Degré - Vida Selvagem

Filha de um casal de fotógrafos (da vida selvagem) franceses, Tippi nasceu a 4 de Junho de 1990 em Namíbia. Com uma infância incomum, Tippi aprendeu desde cedo a conviver com os animais selvagens criando uma relação de amizade com eles. A ligação era tão forte  e o entendimento tão claro que os pais acreditavam, mesmo, que Tippi já falava a "língua" deles.







Estas fotos, retiradas do livro e documentários que os país fizeram acerca da vida de Tippi, numa espécie de diário na África, são lindas e comoventes, não são?
Pois é, mas Tippi cresceu e foi "obrigada" a retornar a França e  frequentar a escola como uma criança comum. No entanto, a falta de convívio, na infância, com outras crianças e seres humanos fechou as portas para uma inserção social normal, e por isso, Tippi foi obrigada a ter aulas particulares... em casa.

Eu achei linda esta relação com os animais, mas fez-me pensar de que forma esta infância invulgar pôde (ou não) prejudicar a Tippi na altura de voltar à normal sociedade? Será possível viver em dois mundos paralelos tão diferentes e conseguir vingar em ambos? Será que hoje, Tippi consegue ter uma vida normal ou a sua infância marcou para sempre a sua personalidade e relação com o homem?

Hoje, Tippi estuda cinema na Universidade Sorbonne Nouvelle em Paris.



Enfim... Resolvi partilhar esta história com vocês e saber a vossa opinião...

Comentem

XO
*Nazaré*

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Olá, é bem comovente a história da Tippi, li uma entrevista da mãe dela na revista seleções; o rompimento da menina não foi só com a África, mas também com o pai, os pais dela se separaram quando ocorreu a mudança para Paris...
    É invadir muito a privacidade deles saber disso e expor nossas opiniões.
    Mas tento feito faculdade de Licenciatura em Artes, vejo que esses padrões de frequentar escolas, salas de aula com carteiras, quadros negros, não são a melhor opção para educar e aprender. Com certeza o aprendizado que Tippi teve na sua infância foi ímpar, de uma magnitude que escola nenhuma é capaz de proporcionar com seus livros e sua forma positivista; acredito que Tippi não precisava frequentar uma escola (no formato que nós conhecemos); na verdade ela e todas as crianças do mundo não merecem essas escolas...
    Espero que Tippi não se esqueça da África!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Julia... Desde já quero agradecer pelo teu comentário (foi precisamente para criar uma pequena discussão que fiz este post)... Eu concordo com tudo o que disseste, também não sei até que ponto é realmente necessário (e por isso coloquei "foi obrigada a ir para a escola" entre aspas)uma escolaridade. Mas fez-me pensar o porquê de os pais (independentemente de estarem juntos ou não) terem sujeitado a miúda a uma "vida comum"? Ou, tal como tu dizes, não teria sido melhor Tippi não frequentar uma escola "no formato que nós conhecemos"? Será que depois de uma infância tão invulgar, Tippi estaria preparada para enfrentar uma sociedade convencional? Este assunto fez-me pensar e ainda agora estou a refletir sobre o que seria uma real sociedade... Beijinho e espero que continues a seguir o blog! *Nazaré*

      Eliminar

Comenta aí que eu vou amar saber que você está desse lado...=D

Fan Page